CORE é uma palavra da língua Inglesa que quando traduzida de modo geral poder ser entendida como núcleo, centro ou parte mais importante de alguma coisa. O core é considerado a “casa de força” (Power house) do nosso corpo, local onde todo movimento tem início... Isso mesmo, nossos movimentos têm início na região central do corpo. Antes de fazer força com os braços ou pernas para levantar de uma cadeira, a musculatura que compõe a parte profunda do core foi ativada milésimos de segundos antes.

 

O core é composto por 29 pares de músculos que estão localizados entre o osso esterno e os joelhos, com ênfase na região do tronco, cintura escapular, lombar, quadril e pelve. A função dessa musculatura é gerar potência, manutenção do equilíbrio, estabilização e controle da coordenação durante os movimentos.

 

Se você quer eliminar aquela dor nas costas, melhorar a postura, voltar a praticar aquele esporte ou praticá-lo com movimentos mais coordenados, fortes, velozes e eficientes, o fortalecimento da região do core é uma ótima iniciativa (lembrando que podem existir exceções).

 

O treinamento do core vai além dos clássicos exercícios abdominais, envolve o trabalho da região central do corpo como um todo estimulando músculos globais que podem ser visíveis como o reto do abdômen, até os mais profundos como o transverso abdominal, multífidos. Os movimentos para desenvolver essas musculaturas envolvem exercícios estáticos (pranchas laterais, frontais, pontes e suas variações), dinâmicos ( flexões e extensões de tronco, quadril e os que fazem rotação da coluna). 

 

Agora você já está ciente, quando seu professor, instrutor, preparador físico, personal trainer começar aplicar aqueles movimentos que fazem tremer e até “queimar” tudo, dê o seu melhor. Os benefícios que podem ocorrer hoje, amanhã e ao longo dos anos são todos seus.

 

 

 

  

 

  

 

Yuri Cardoso
Educador Físico
CREF 132160-G/SP

Compartilhe:
Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn