Uma dúvida que é comum para muitos pais: "será que meu filho tem pé chato?", "o que devo fazer para melhorar o arco do pé das crianças?"

 

Para responder um pouco destas dúvidas, precisamos entender sobre os tipos de pés.

 

Um pé considerado normal possui uma curva na sua parte interna, o arco plantar. O arco é responsável por sustentar o peso do nosso corpo e ajudar a dissipar o impacto que recebemos ao andar, correr ou pular. Sendo assim, é essencial para prevenir dores e lesões. Além disso, o arco normal permite que todas as estruturas acima dele  tornozelo, joelho, quadril, coluna) estejam alinhadas entre si, facilitando a manutenção de uma postura mais adequada.

 

Se este arco for excessivamente alto, temos o pé cavo. Geralmente este tipo de pé apresenta maior rigidez dos músculos e articulações, portanto não dissipa bem o impacto, além de causar uma pressão maior nas únicas regiões em que ele apoia: calcanhar e metatarsos (a base dos dedos).

 

Porém o que mais aflige os pais é o pé plano, onde há diminuição ou ausência do arco, o que também não permite a absorção do impacto, pode levar a erros na pisada, dores e deformidades.

 

E por que o pé plano preocupa mais os pais do que o pé cavo? Isso se dá por conta do ciclo de desenvolvimento da criança. A formação do arco ocorre conforme a musculatura do pé vai se desenvolvendo e amadurecendo. Isso ocorre por volta dos 2 anos, quando a criança está ficando em pé e andando. Antes disso, o pé da criança é plano mesmo!

 

Conforme ocorre estimulação dos pés, o arco vai se desenvolvendo, e está formado por volta dos 5-6 anos. Em casos de crianças obesas ou com sobrepeso, este desenvolvimento é mais lento, e o arco pode aparecer só com 8-9 anos de idade. Ainda assim, o arco do pé pode e deve ser estimulado sempre, pois o processo inverso também acontece: com o envelhecimento e desuso, o arco vai desabando, e pode ir de normal a chato em adultos.

 

E como garantir que o pé do meu filho vai se desenvolver normalmente? A resposta é estimulação! Estimular os pés das crianças (e dos adultos também!) é essencial. O pé leva muitas informações para o cérebro, ajuda a estimular o desenvolvimento motor e até intelectual das crianças! Lembrem que o bebê usa tanto as mãos como os pés para explorar o ambiente que o cerca.

  

Assim a dica número 1 é deixar seu filho descalço o máximo possível, em diferentes superfícies! Mesmo no frio, opte por meias ou sapatos com sola fina e flexível, para deixar o pé bem livre para os movimentos!

 

Porém se a criança já está maior e ainda assim o arco não se desenvolveu, temos exercícios para fortalecer a musculatura do pé (não é panturrilha, é da sola mesmo!) e ganhar mobilidade. Procure fisioterapeuta especializado.

 

E as palmilhas, resolvem? Não. As palmilhas até podem ajudar a diminuir dores por posicionar melhor o pé e ajudar a distribuir melhor a carga sobre ele. Porém ela faz o trabalho que os músculos deveriam fazer, e assim nosso organismo deixa de usá-los, podendo levar a uma atrofia destes.

 

 

A melhor prevenção é a estimulação correta, assim como o melhor tratamento!

  
 
  

 

Denise Pripas Schinazi
Fisioterapeuta
CREFITO 3/133755-F 

Compartilhe:
Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn